A polícia do Estado indiano de Orissa tem uma rede de comunicações sofisticada, mas ainda não vai aposentar o seu "serviço de pombos", uma equipe de 800 aves, noticia o jornal The Indian Express. Segundo o Sr. B. B. Panda, diretor-geral da polícia de Orissa, os pombos foram indispensáveis em enchentes e ciclones nos últimos 50 anos e ainda são úteis quando a comunicação sem fio falha. Por exemplo, quando uma inundação devastou a vila de Banki, em 1982, os pombos foram o único contato entre a vila e a sede distrital em Cuttack. A primeira unidade de pombos de Orissa começou em 1946, com uma espécie belga de pombo-correio capaz de voar mais de 800 quilômetros sem parar, a velocidades de 80 a 90 quilômetros por hora. Os pássaros, cuja média de vida é de 15 a 20 anos, ficam atualmente em três centros, aos cuidados de 34 policiais. "Os pombos talvez pareçam arcaicos na era do telefone celular, mas continuam a prestar excelentes serviços para o Estado", disse o Sr. Panda.

0 comentários: