21 de dez de 2011

Supercola antiga

Frank Willer, restaurador-chefe do museu da Renânia, em Bonn, na Alemanha, sem querer descobriu uma cola extremamente aderente. Usando uma serra fina, ele estava removendo um pedaço de metal de um capacete decorado com folhas de louro feitas de prata, que era usado por oficiais romanos em cerimônias. “O calor causado pela serra fez com que as folhas de louro se desprendessem, deixando vestígios finos da cola no capacete”, explicou Frank. Uma análise revelou que essa supercola era feita de betume, resina de casca de árvore e gordura animal. O capacete, datado do primeiro século AEC, havia permanecido no leito do rio Reno por pelo menos 1.500 anos.

0 comentários: