É porque teve a humildade de colocar-se alguns centímetros abaixo de todos os rios.
Sabendo receber, tornou-se grande.
Se quisesse ser o primeiro, centímetros acima de todos os rios, não seria mar, mas sim uma ilha.
Toda sua água iria para os outros e estaria isolado.
A perda faz parte.
É impossível vivermos
satisfatoriamente.
A queda
faz parte.
A morte
faz parte.
Precisamos aprender a perder, a cair, a errar e a morrer.
Impossível ganhar sem saber perder.
Impossível andar sem saber cair.
Impossível acertar sem saber errar.
Impossível viver sem saber viver.
Se aprenderes a perder, a cair, a errar, ninguém mais o controlará.
Porque o máximo que poderá acontecer a você é cair, errar e perder.
E isto você já sabe.
Bem aventurado aquele que já consegue receber com a mesma naturalidade o ganho e a perda,...
...o acerto e o erro, o triunfo e a queda, a vida e a morte.
E lembre-se sempre de que, o Sucesso é ser feliz, o resto é conseqüência!!!!!

4 comentários:

Malu disse...

Amigo,
Sou suspeita para falar das suas páginas porque gosto de tudo o que vejo nelas.
Quanto ao mar... ele seduz nossos olhos. Sua imensidão é fascinante e tudo isso ocorre por uma questão da humildade que teve.
Tem muito rio por aí querendo ser ele.
Belas palvras.
Abraço

Cami Rodrigues disse...

Celso, navegando pelos "mares", cheguei aqui no seu blog.

E foi impossível nao relfexionar sobre o seu texto.

É incrivelmente difícil receber com a mesma naturalidade os ganhos e as perdas.
Ainda estou nesse intento. O que sim, descobri, é o quanto sou forte para suportar as minhas perdas e isso sim, me fez também, acreditar que posso muito mais do que pensava e que sou feliz, sim. Entao, tenho sucesso. E você também.

Un abrazo desde Barcelona!

Cami

Diogo disse...

Histórias do grande mar... Não há como não se render a ele! abçs

Luana Seabra disse...

Lindo... Parabéns, vc arraza como sempre
Bjuss