20 de abr de 2009

“Fila-bóia” em série

Um nova-iorquino já esteve na prisão mais de 31 vezes pelo mesmo crime: filar refeição. O homem de 36 anos entra num restaurante, pede um bom aperitivo e uma refeição especial, e termina com um cafezinho. Na hora da conta, ele informa o garçom de que está sem dinheiro e aguarda até ser preso. Por que faz isso? "É duro do lado de fora", diz o homem, que não tem onde morar. Na prisão há ordem, come-se na hora certa e a comida é boa, argumenta. Também, ele não quer roubar nem ferir ninguém; só quer comer bem e ter uma cama limpa e um lugar para dormir em paz. Assim, ele sempre se declara culpado no tribunal e pleiteia a sentença máxima. Hospedá-lo na prisão custa aos contribuintes US$ 162 por dia. Sua recente refeição de US$ 51,31 custou US$ 14.580 para mantê-lo na cadeia durante a sentença de 90 dias. Ele já custou a Nova York mais de US$ 250.000 nos últimos cinco anos. "Os advogados da Legal Aid" (entidade que presta assistência jurídica aos pobres), diz o The New York Times, têm "visto um pequeno, mas crescente número de pessoas que cometem crimes menores com a intenção de ir para a prisão" para se "refugiarem da pobreza ou da fome".

0 comentários: