8 de mar de 2009

Defenda-se dos parasitas!

VOCÊ acorda com náusea. Cansa-se facilmente. Sua barriga está um pouco inchada. Sintomas de gravidez? Talvez. Mas se vive num país tropical ou subtropical, é bem provável que esteja com algum tipo de parasita intestinal. O que são parasitas intestinais e como você pode saber se está alojando esses hóspedes indesejáveis?
Em palavras simples, parasita é um organismo vivo que tira proveito do hospedeiro em que vive — um outro organismo vivo. Dois tipos de parasitas intestinais são protozoários, ou seja, as amebas e os helmintos (ou vermes). O grau de prejuízo para a saúde do hospedeiro depende do tipo e da quantidade de parasitas presentes e da idade e da saúde do hospedeiro.
A fêmea da popular lombriga (espécie de helminto), por exemplo, pode produzir uns 200.000 ovos por dia. Mas os ovos precisam incubar-se no solo para se desenvolver. O número de lombrigas que a pessoa carrega depende do número de ovos viáveis ou de larvas ingeridas. Muitas pessoas hospedam algumas lombrigas sem jamais se aperceberem disso. Mas, em grande número, as lombrigas podem causar uma séria obstrução intestinal.
Alguns sintomas comuns dos parasitas intestinais são dor abdominal, perda de apetite, abdômen inchado, fadiga e indigestão, diarréia ou prisão de ventre crônicas. Também podem ser sinais de parasitas perda de peso, sono irrequieto, coceira, chiados e febre. Naturalmente, esses sintomas também aparecem em diversas outras doenças. Mas os parasitas podem ser diagnosticados através de vários tipos de exames de fezes.
O diagnóstico correto é essencial. Por exemplo, se o exame revelar a presença de lombrigas junto com outro tipo de parasita, a lombriga precisa ser tratada primeiro. Por quê? Porque alguns remédios não eliminam a lombriga, mas podem apenas irritá-la, fazendo-a migrar para outros órgãos do corpo onde causa sérios danos.
É melhor prevenir . . .
Embora os medicamentos contra os parasitas sejam eficientes, o melhor é evitar ser infectado. Como, então, você pode defender-se dos parasitas?
A limpeza é a melhor proteção. Os excrementos não devem ser deixados expostos ao ar livre. O banheiro deve ficar a uma distância segura da fonte de água. Fezes humanas não devem ser usadas como fertilizante. Hábitos corretos de higiene também são essenciais. Não deixe as crianças comer terra. Se uma criança estiver com parasitas, seria bom que a família toda fizesse exame.
É bom tomar cuidado também na hora de comprar e preparar os alimentos. Procure comprar produtos cultivados numa área com boa reputação sanitária. A carne deve ser bem cozida por inteiro. Nunca coma carne crua. Frutas e verduras cruas devem ser bem lavadas. Mas evite reutilizar a água, que pode estar contaminada.
A água para beber deve ser bem fervida. Depois de esfriar, ela pode ser arejada para recuperar o oxigênio. A maioria dos filtros caseiros não conseguem, sozinhos, eliminar todos os parasitas. E a pureza da água engarrafada comercialmente depende dos cuidados tomados na fábrica em que foi processada.
Viajar ou comer fora exige cuidados extras. Bebidas em garrafa ou em caixa costumam ser seguras quando servidas sem gelo. Como alguns parasitas sobrevivem a baixas temperaturas, o gelo não é mais limpo do que a água da qual foi feito. É bom tomar cuidado com a comida dos vendedores de rua. Fatias de abacaxi ou de melão talvez pareçam saborosas, mas em geral são mantidas frescas respingando-se água nelas — água que pode estar contaminada. Tome cuidado, mas não fique tão paranóico que deixe de usufruir sua viagem. Tomando precauções razoáveis, há muito que você pode fazer para se defender dos parasitas.

0 comentários: